Vereadora de Iporã do Oeste representou os usuários do SUS em Conferência Nacional da Saúde.
Você está em: Câmara de Vereadores de Iporã do Oeste, transparência e credibilidade .: Notícias
  • Vereadora de Iporã do Oeste representou os usuários do SUS em Conferência Nacional da Saúde.
  • Na última semana entre os dias quatro a sete de agosto a vereadora de Iporã do Oeste IRMI SCHNEIDER, participou da conferência nacional da saúde em Brasília que teve como tema Saúde e Democracia. A vereadora foi tanto representante do município de Iporã do Oeste, por ter sido eleita delegada na conferência municipal, como também representou o estado de Santa Catarina na conferência nacional, pois foi eleita delegada para tal, na conferência estadual. IRMI destaca que foi muito importante a conferencia que foi um sucesso total por ter a representação de todos os estados.  Ela salienta que teve realmente a participação da população. Na conferência estadual foi apresentado um levantamento dos dados de todos os municípios do estado que ela levou para a conferencia nacional que foi uma forma de discutir democraticamente a saúde pública do país. As diferentes realidades do país tiveram grande repercussão, conforme IRMI, cada região tem as suas dificuldades e os seus desafios.

    De acordo com a vereadora IRMI no uso de sua palavra na noite da última segunda-feira (12), várias temáticas foram discutidas na Conferência da saúde. Dentre as demandas de maior destaque a mais relevante é a preocupação de todos, tanto de trabalhadores, gestores e usuários com a liberação dos agrotóxicos, antes não liberados. São agrotóxicos novos, proibidos em outros países. No Brasil, havia sido feito uma caminhada, uma evolução na qualidade de vida quanto ao consumo de alimentos com menos agrotóxicos, porem de acordo com IRMI, agora com a liberação, esta situação regrediu. Na conferência se percebeu que a população não quer a liberação dos agrotóxicos, mas é a vontade de poucos. Os profissionais da saúde também possuem a consciência de que a liberação dos agrotóxicos vai atingir o sistema da saúde.

    Outro destaque da conferencia, de acordo com IRMI SCHNEIDER, foi o financiamento o SUS, de onde provem os recursos, de que forma são montados os programas e a quem eles beneficiam. Há muitos programas de prevenção, que são mais baratos do que as ações de remediação. Há impostos destinados a saúde, mas são poucos e não há a possibilidade de se criar novos. É necessário fazer bons programas e ações com os valores disponíveis. Conforme IRMI, no estado de Santa de Catarina a parcela de retorno do estado para os municípios é muito pequena, em relação à contribuição do município ao estado.

    Usuários do SUS precisam ser mais participantes no sistema. A vereadora IRMI enfatiza que os usuários possuem o direito de receber um atendimento do sistema de saúde, mas também têm deveres. Um dever, por exemplo, é cumprir os horários de consultas e realizar os exames realmente necessários e também os retirar e encaminhá-los, o que significa usar os recursos públicos com consciência. Ainda conforme IRMI, as propostas mais relevantes elaboradas nos 53 grupos, durante a conferência nacional, serão encaminhadas ao governo federal. SCHNEIDER destaca que é importante cobrar do governo a aplicação das reivindicações, para tanto ela se coloca à disposição das secretarias de saúde dos municípios da região e demais setores pra repassar as informações. IRMI esclarece que a locomoção e estadia em Brasília foram pagas pelo estado e agradece a oportunidade que teve de representar os usuários do SUS neste evento tão importante para a população.